OBSCURANTISMO CIENTÍFICO

Alerta máximo

Prezado leitor, hoje queremos bradar um altissonante ALERTA MÁXIMO para os físicos de todo o planeta a fim de despertá-los para o caminho da verdade que emerge da equação E=MC³C²C² e assim, provocar uma ação conjunta capaz de afastar o falso paradigma mitológico do “modelo padrão do átomo divisível”.

Há mais de cem anos Einstein disponibilizou para o mundo científico a equação E=mc² (Energia [E] igual à massa [m] multiplicada pela constante da velocidade da luz elevada ao quadrado [c²]). Infelizmante os cientistas de plantão não perceberam que, subjacente à equação einsteiniana, está implícita a unidade de matéria indivisível E=MC³C²C² (Energia [E] igual à unidade de Matéria [M] multiplicada pela Constante geométrica [C³]), multiplicada pela constante magnética (C²), multiplicada pela constante gravitacional (C²).

Assim, devo ALERTAR que a equação einsteiniana, em sua essência, ainda não foi compreendida no meio acadêmico. A prova disso é que nas publicações científicas não encontramos nenhuma afirmação contundente que afirme a indivisibilidade do átomo. A esse respeito HUBERTO ROHDEN se referiu:

“Em 1945/46, quando eu estava com Einstein na Universidade de Princeton, os professores de alto gabarito diziam que não havia meia dúzia de homens capazes de compreender as teorias dele. Um deles teve a sinceridade de dizer que não havia um” (Huberto Rohden — EINSTEIN — O enigma do Universo – 6ª edição pg. 27 – AURORA -1989)

       Sabemos que os grandes avanços tecnológicos obtidos no universo massivo (E=mc²) proporcionam infinitas facilidades nas lidas diárias e oferecem benesses para o corpo, mas não vemos nenhuma inovação científica no âmbito do universo da matéria (E=MC³C²C²) que levaria ao conhecimento da dinâmica da ética humana para o conforto da alma. A nuvem de bytes, a nanociência, a nanotecnologia, a eletrônica, a informática mudou o mundo, mas o homem continua o mesmo.

       Os fatos demonstram que a ciência, mesmo com todo o aparato tecnológico disponível, ainda não encontrou respostas convincentes para as perguntas mais elementares como, por exemplo:

De onde viemos? Do que somos feitos? Qual nosso propósito? — Para onde vamos?

O não reconhecimento do “Ser”, unidade de matéria absoluta da qual tudo provém, só faz aumentar a imensa defasagem que existe entre a ciência da massa E=mc²  da ciência da Matéria E=MC³C²C² (Eu metafísico).

Os cientistas de plantão, em todas as áreas do saber, ainda permanecem na caverna platônica das sombras envoltos no imbróglio da aparência (massa) afastados da essência (matéria) 

O não reconhecimento da unidade de matéria indivisível e sua dinâmica levou a elite acadêmica a apostar todas as fichas no bóson de Higgs ou partícula de Deus. Assim, investiram somas astronômicas para construir o maior elefante branco da história da humanidade, denominado LHC (Large Hadron Collider) com o propósito de dividir o indivisível. Ver a publicação (Redação do Site Inovação Tecnológica – 24/01/2017).

01
Colisão de Hadrons

Até agora nós não temos certeza se (a partícula encontrada pelo LHC) é o Higgs do Modelo Padrão ou um impostor misturado com algum outro tipo de Higgs”. (Usha Mallik, física da universidade de Iowa).

Devemos aceitar que o “Ser” (E=MC³C²C²) é o único elemento capaz de inaugurar a ciência e dar credibilidade científica suficiente para acabar com a pseudociência.

Sem o conhecimento da unidade de matéria os fenômenos naturais podem ser descritos, mas não podem ser explicados. Admitir um docente que não reconheça a indivisibilidade da matéria atômica E=MC³C²C² é tão absurdo quanto admitir o matemático que não reconhece os números.

Felizmente, usando as mesmas ferramentas usadas por Einstein, Intuição, lápis e papel, nossos resultados foram altamente promissores, com isso, podemos afirmar, sem sombra de dúvida, o fim do relativismo científico. Todo o conhecimento se torna absoluto e toda a certeza definitiva e a ciência está inaugurada.

Despidos de vaidades, despretensiosamente estamos prontos para oferecer ao mundo os surpreendentes resultados de nossa pesquisa, sem dúvida, suficientes para inaugurar a ciência.

Se você é um docente que exerce sua atividade numa Instituição de vanguarda, em qualquer parte do planeta, lembre-se que é seu dever abraçar com humildade, seriedade e altruísmo a sagrada tarefa de apontar o caminho da verdade a seus discípulos. Assim, estaremos livres da pecha anunciada por Einstein:

       “Duas coisas são infinitas, o universo e a estupidez humana, mas no que diz respeito ao universo, ainda não adquiri a certeza absoluta”.

Ainda assim, temos duas opções:

A primeira opção é continuarmos no obscurantismo acreditando no átomo divisível bohreano anunciado na era do homo sapiens-sapiens (O homem que sabe que nada sabe) e, assim manter a humanidade no caos ético em que se encontra imersa.

A segunda opção é transcender para a era do Homo Ethicus (O homem que sabe o quanto quer saber) e adotar a equação E=MC³C²C² como a única ferramenta viável que leva ao iluminismo capaz de acabar com o obscurantismo científico e por extensão, o obscurantismo político e religioso.

Referência: Inovação Tecnológica
http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=boson-higgs-aparente-descoberta&id=010130170124

Valério Fornari – valeriofornari@gmail.com – (11) 9 8108 0200

(todos os direitos reservados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s